Home / Mundo Automóvel / Club MX-5 Portugal: Passeio a Arouca c/ mais de 50 Miatas

Club MX-5 Portugal: Passeio a Arouca c/ mais de 50 Miatas

Foi no passado fim‑de‑semana que recebi um dos melhores convites que já tive desde o inicio deste projeto. Ingressar numa roadtrip até ao norte do país para acompanhar mais de «50»  Mazdas MX-5 numa verdadeira sessão de «Miatismo»

– “Alô Marco, queres ir ao passeio nacional do Club MX-5 Portugal já este fim‑de‑semana? Faz as malas!”. Logo eu, que ainda há bem pouco me tinha convertido ao «Miatismo» após ter conduzido o Mazda MX-5 1.5 Skyactiv-G (não sabes do que falo? clica aqui e vai ler o ensaio ao MX-5 ND), não pude recusar este convite.

No parque de imprensa, para me acompanhar neste roadtrip, a Mazda reservou-me o novíssimo MX-5 RF 2.0 Skyactiv-G na sua melhor cor, o «Vermelho Soul». Mas… como nem tudo é perfeito, saiu-me a caixa automática na rifa, e logo o MX-5 que tem das melhores caixas manuais que já conduzi. Que crime Mazda, que crime! Porém, deixemos os pormenores para o ensaio que está quase aí.

Está na hora de acomodar as malas nos 130l de bagagem e rumar até as Termas de São Pedro do Sul, local onde irei pernoitar e onde está marcado o ponto de encontro.

Iniciado o passeio, olho pelo espelho retrovisor e vejo uma infindável fila de MX-5, de todas as gerações. Fantástico, nunca tinha assistido a nada igual! O primeiro destino é o Geopark de Arouca, local onde pude conhecer as famosas Pedras Parideiras e a Frecha de Mizarela e desfrutar de uma paisagem única.

Embora o andamento de toda a caravana tenha sido moderado, a hora do almoço chegou num ritmo bastante frenético. Talvez tenha sido pelo percurso bastante monótono que a Mazda escolheu (ou não!). Depois de uma boa dose de prazer de condução, nada melhor do que fazer uma paragem na Casa dos Bifes em Alvarenga, que viu o seu estacionamento transformado num autêntico mar de Mazdas MX-5.

Durante o almoço e numa troca de histórias e de opiniões sobre as diferenças entre o novíssimo MX-5 RF e o “soft-top”, deu para perceber que muitos dos participantes já se conheciam de outros passeios anteriores, enquanto outros estavam ali a marcar a sua estreia.

À tarde, logo após o almoço cumpriu-se o segundo troço (mais curvas e contracurvas!) e contemplou-se a descida até ao Mosteiro de Arouca, onde tive oportunidade de conhecer o inigualável Museu de Arte Sacra. Com o passeio quase dado como terminado, consegui finalmente perceber o porquê desta mística em torno do MX-5 e o porquê deste ser o roadster mais vendido do mundo. Afinal de contas, eu não podia estar errado quando escrevi o que escrevi no anterior ensaio ao MX-5.

Antes do final deste encontro, a organização desvendou aos participantes os locais dos dois próximos eventos do Club MX-5 Portugal. O primeiro dos quais será na Exponor, no âmbito do Salão AutoClássico (5 a 8 de Outubro).

Mais detalhes serão oportunamente anunciados pelo Club MX-5 Portugal, no seu portal www.clubmx-5.com e página de Facebook. Esclarecimentos adicionais poderão ser obtidos pelo telefone 218 258 625. Quanto a mim, resta-me agradecer à Mazda Motor de Portugal e ao Club MX-5 Portugal, foi um prazer fazer parte da vossa formidável família, espero estar presente nos próximos passeios!

About Marco C.

O Marco é um entusiasta automóvel e cresceu rodeado de "Leões". Ainda mal conseguia pronunciar a palavra gasolina e já era um apaixonado por automóveis. Hoje em dia anseia por mostrar a sua garra na "selva" do mundo automóvel e conduzir a sua paixão o mais longe possível.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *