Home / Ensaios / Ensaio ao Mazda MX-5 NA, o Miata original

Ensaio ao Mazda MX-5 NA, o Miata original

Velhos são os trapos! O original Mazda MX-5 NA veio passar uns dias à minha garagem para mostrar como se fazem piões à antiga! Preparados para uma viagem até aos anos 90? PS: Façam uns alongamentos, não há direção assistida.

Nascido em 1989, o Mazda MX-5 NA é um verdadeiro ícone no mundo automóvel que já conta com quase 30 anos de história e milhões de seguidores do culto «Miata» espalhado em todo o Mundo, não fosse ele o roadster mais vendido de sempre.

Como já sabem, os ingredientes que fazem deste MX-5 NA uma receita de sucesso são o seu baixo peso, distribuição de peso 50/50, um motor 1.6l atmosférico a gasolina de 115cv e claro, a tração traseira. Mas será que um automóvel que nasceu antes de mim vai mesmo conseguir surpreender? Para descobrir a resposta a essa pergunta e entender melhor toda a história e filosofia da Mazda, pedi ajuda a um “especialista” desta matéria.

Adoro automóveis, trabalho no ramo mas a minha verdadeira paixão são os clássicos e pré-clássicos, pois são eles que nos trazem a aura e mística, e nos contam as histórias de outros tempos. Quando se convive com automóveis diariamente e já há alguns anos, é normal que vários modelos de diferentes marcas nos comecem a parecer iguais com o passar do tempo. No entanto, há para mim uma marca que continua a marcar a diferença e me desperta uma enorme paixão e entusiasmo; a Mazda! Cá por casa existem várias miniaturas Mazda, vários catálogos, várias edições especiais sobre modelos, várias fotografias e até mesmo roupa, enfim… Tudo o que um fundamentalista necessita para mostrar a sua obsessão e admiração por uma entidade de força maior, ou apenas tudo o que um psicólogo precisa para mandar internar alguém como eu.

Trata-se de uma marca fundada em 1920 e que até aos dias de hoje já resistiu praticamente a tudo. Uma quase falência, uma Segunda Guerra Mundial e até mesmo a uma bomba atómica lançada pelos EUA em 1945, tendo a Mazda sobrevivido e exercido um papel fundamental na ajuda à reconstrução de Hiroshima. É este o espirito que define a Mazda!

Atualmente, sou proprietário de um Mazda Lantis de 1997, mais conhecido por 323F BA, mas cá por casa já passaram outros exemplares da marca nipónica, um Mazda Axela de 2010 (Mazda 3) e um Mazda Familia MK6 de 2000 (323F BJ). Um dos pormenores que mais aprecio no meu atual carro é o facto de, tal como o MX-5 NA deste ensaio, ser um dos últimos modelos a exibir orgulhosamente a «Eternal Flame», um elogio aos motores rotativos, símbolo anterior ao «M» atual que a marca diz simbolizar a “abertura das asas ao futuro”. Futuro esse que realmente tem sido risonho graças à nova era de design KODO e tecnologias Skyactiv, que permitem à marca de Hiroshima continuar a criar fanáticos e entusiastas pelos seus automóveis.

Com base nestes presupostos e na minha admiração pela marca, foi com enorme prazer e orgulho que aceitei fazer parte deste ensaio a um Mazda MX-5 NA de 1995, mas que posso eu escrever que não saibam já? Trata-se de um fantástico modelo que foi construído com base na filosofia Jinba Ittai. Filosofia essa que todos os modelos Mazda seguem e que significa o equilíbrio perfeito entre o cavalo e cavaleiro como se fossem um só, ou do carro e do seu condutor neste caso.

Criado para ser uma espécie de tributo aos antigos roadsters ingleses como o Lotus Elan e o Triumph Spitfire, qualquer uma das gerações do MX-5 foram sempre, face à concorrência, a opção mais acessível para quem procurava a liberdade de um automóvel descapotável e a diversão de uma tração traseira, tornando-o assim no roadster mais vendido de sempre.

A posição de condução deste Mazda MX-5 NA é baixa e as regulações a fazer são apenas a nível do assento; a inclinação das costas e a sua proximidade aos pedais. A dinâmica de condução mantém-se atual e mesmo não existindo direção assistida, continuamos a conseguir fazer dele tudo o que queremos, graças ao tão bem acertado chassis e à sua distribuição de peso perfeita 50/50. Tudo isto lembrando-nos que para termos diversão ao volante de um automóvel e um enorme sorriso de orelha a orelha não é preciso muito, basta apenas a afinação certa e a tração no sitio certo. E é nisto que a Mazda é imbatível!

Outro pormenor único desta primeira geração são os famosos faróis escamoteáveis, moda dos anos 90, que tanto carisma dão a este pequeno Miata e que para mim são ouro sobre azul. Por mim, andavam sempre erguidos, tanto de dia como de noite, assim como a capota é obrigada a andar recolhida, sempre, menos quando a chuva não permite.

Para terminar, há que falar dos honestos 115 cv de potência debitados pelo genial (mas guloso!) motor 1.6l atmosférico a gasolina colocado debaixo do longo capôt de forma longitudinal. Com bastante fôlego em baixas rotações e muito forte em altas, devorando quase 8000 RPM de forma como hoje já pouco se vê, é o motor mais “redondo” que já pude experimentar. A caixa manual de cinco velocidades é curta, direta e bastante precisa, sem folgas nem falhas, como é habitual ver em outros modelos da época. Já os consumos, esses sim, são mais próprios daquela época, onde ainda não existiam tecnologias SKYACTIV e meio depósito (24l) se gasta depressa, ao longo de cerca de 220km percorridos.

Agora, resta desfrutar de toda esta liberdade e sonhar com o dia em que hás-de ser meu, porque o resto… O resto é história!

Cláudio Filipe dos Santos Isaias, fanático Mazda eborense.

Este foi um ensaio diferente, repleto de olhares e elogios por parte de quem se cruzou comigo e com o carismático MX-5 NA. Com uma longa história, este modelo marcou a geração dos nossos pais e continua a marcar a nossa geração de forma muito positiva. Não existem muitos automóveis assim, acreditem, e se o vosso sonho é ter um, saibam que a Mazda conta agora com um programa de restauro para que este clássico e original Miata possa continuar a fazer história, e a fazer-nos sonhar. Um enorme obrigado à Mazda Motor de Portugal por esta autêntica viagem à descoberta de um passado com quase 30 anos.

Quanto a vocês, caríssimos leitores, antes de fecharem este separador para abrir as pesquisas do OLX, saibam que vamos ter mais gerações em breve… Fiquem atentos!

About Marco C.

O Marco é um entusiasta automóvel e cresceu rodeado de "Leões". Ainda mal conseguia pronunciar a palavra gasolina e já era um apaixonado por automóveis. Hoje em dia anseia por mostrar a sua garra na "selva" do mundo automóvel e conduzir a sua paixão o mais longe possível.

Check Also

Ensaio Hyundai i20 1.2 MPi

O Hyundai i20 está de cara lavada, contando com uma atualização de meia idade. As …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *