Home / Ensaios / Ensaio Renault Captur 1.3 TCe 130

Ensaio Renault Captur 1.3 TCe 130

Renault Captur. Um dos SUV compactos mais adorados do segmento, agora com novos motores.

Embora o formato seja o seu formato seja o de um SUV Compacto, o Renault Captur foi claramente desenhado para um estilo de vida mais urbano, onde ele dá cartas e a prova viva são o seu grande número de vendas.

Esteticamente, nada se alterou desde o nosso primeiro ensaio ao Captur. A tonalidade da carroceria bi-color, as bonitas jantes maquinadas e a sua assinatura LED em formato C tanto na dianteira como na traseira encontram-se inalteradas.

Já no seu interior assim como a condução, senti um ligeiro aprimorar do Renault Captur. O seu pisar está mais firme e a qualidade de montagem também recebeu uma maior atenção. No que diz respeito ao sistema de infotainment, passamos a ter disponível a integração com o nosso Smartphone via Apple CarPlay e Android Auto. 

Mas a sua maior novidade passa pelas novas motorizações 1.3 TCe FAP a gasolina que vou estar a testar durante a próxima semana. No caso deste ensaio ao Renault Captur, é a variante com 130cv de potência que está responsável de o locomover. A utilização deste bloco é de uma suavidade incrível enquanto se consegue imprimir uma condução bastante energética, claramente superior aos anteriores 0.9 TCe. Até os consumos melhoraram imenso, sendo agora possível cumprir com valores abaixo dos 5 litros aos 100km em percursos extra-urbanos, tendo ficado a nossa média final do ensaio nos 6.4l.

O preço do Renault Captur começa agora nos 18.605€ e na versão ensaiada vai até cerca de 24.600€. Na minha opinião, dentro da sua gama é um bom preço, pois além de mais potente e oferecer consumos modestos, consegue ser mais barato em cerca de 3 mil euros face à mesma versão com motorização 1.5 dCi de 90cv. No entanto, acredito que o preço absurdo da gasolina e o número de quilómetros anuais vão continuar a ter peso na decisão.

About Marco C.

O Marco é um entusiasta automóvel e cresceu rodeado de "Leões". Ainda mal conseguia pronunciar a palavra gasolina e já era um apaixonado por automóveis. Hoje em dia anseia por mostrar a sua garra na "selva" do mundo automóvel e conduzir a sua paixão o mais longe possível.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *